Gestão estratégica de manutenção faz SKF crescer 15% no setor de Papel e Celulose

2013 Outubro 04, 14:20 BRT

A divisão industrial da unidade brasileira da SKF, que fornece rolamentos e outros componentes para vários segmentos industriais, encerrou os nove primeiros meses deste ano com crescimento de 15% no setor de Papel e Celulose em relação ao mesmo período de 2012. As vendas de produtos e serviços para este segmento ajudaram a companhia a aumentar sua presença, chegando a atender 60% das empresas que atuam neste setor.  
“A alta competitividade desse setor tem nos ajudado a avançar no mercado. A busca por redução de custos aliada à eficiência operacional das companhias permitiu o nosso crescimento nesse segmento. As empresas estão entendendo cada vez mais que é possível tornar seus maquinários mais produtivos sem ter de fazer vultosos investimentos”, explica Silas Santana, representante da companhia na ABTCP.
Todos os produtos e serviços destinados ao segmento serão apresentados pela companhia durante o congresso da ABTCP. Entre os destaques, está o alinhador de eixos TKS80 e sistemas de lubrificação centralizada. Além disto, a empresa apresenta também produtos para transmissão de potência, rolamentos industriais, lubrificador automático, endoscópio, vedações, lâmpada estroboscópica, sistema de monitoramento online, coletores e analisadores de dados de vibração, serviços de gerenciamento de ativo e repotencialização de rolamentos, entre outros.

Negócios em alta
Ainda neste ano a subsidiária brasileira da SKF conseguiu computar em sua carteira a renovação de três importantes contratos e celebrar a conquista de um importante contrato com a Suzano.
“Vamos transferir nosso conhecimento e engenharia aplicada da unidade Limeira, onde já atuamos, para Imperatriz. É mais um desafio que teremos pela frente para ajudar a companhia a aumentar a confiabilidade e eficiência de seus equipamentos”, explica Nelson Esteves, consultor da SKF do Brasil.
O acordo, válido até 2018, contempla o monitoramento das máquinas, lubrificação, inspeções operacionais, engenharia de confiabilidade, fornecimento de plataforma tecnológica na fábrica da Suzano em Imperatriz (MA). Esta nova unidade, que entra em operação no quarto trimestre deste ano, tem capacidade de produção de 1,5 milhão de toneladas de celulose de eucalipto ao ano.
A partir do contrato firmado entre as empresas, a SKF ficará responsável pela adoção de técnicas preditivas e lubrificação em todos os equipamentos rotativos da planta. A SKF atuará com 13 profissionais na unidade da Suzano no Maranhão, incluindo engenheiros e técnicos.
Outro movimento que demonstra a forte atuação da SKF com o setor papeleiro foi a inauguração de um escritório regional no município de Três Lagoas (MS). A unidade faz parte de uma estratégia de regionalização dos negócios da companhia, que inclui proximidade com os clientes e aumento da demanda por produtos e serviços industriais.  A SKF estima receita próxima aos R$ 12 milhões para a unidade sul-mato-grossense a partir 2015, especialmente com a venda de produtos e serviços de manutenção industrial para os setores de Papel e Celulose e Alimentos e Bebidas.
“A região concentra grandes operações industriais de papel e celulose e de açúcar e álcool. Estamos de olho nesses segmentos e atentos às oportunidades na região. Vamos concentrar nossos esforços para ajudar essas empresas a melhorarem sua produtividade, a afastarem o risco de paradas não programadas e aumentar o desempenho produtivo”, explica Carlos Alberto Fernandes, diretor de serviços industriais da SKF do Brasil.

Capital humano também é foco da companhia
Além de oferecer uma série de produtos e serviços especializados para o segmento de Papel e Celulose, a SKF também atua na área de Treinamento e Capacitação.
A companhia oferece cursos que vão desde o módulo básico ao avançado nas cinco plataformas em que a companhia atua: rolamentos, vedações, sistemas de lubrificação, mecatrônica e serviços. Os cursos, presenciais ou a distância, estão divididos em seis categorias (estratégias de manutenção, identificação, controle, execução, melhoria contínua e smart start) e organizados em 18 módulos. Todos os treinamentos são destinados a gerentes, supervisores, engenheiros, técnicos e analistas das áreas de Manutenção, Planejamento, Confiabilidade, Lubrificação, entre outras.
Os treinamentos presenciais são realizados no Complexo Industrial da SKF, instalado às margens da Rodovia Anhanguera, em Cajamar, na Grande São Paulo. Por lá a companhia oferece um centro de treinamento com material didático adequado, especialistas por área de conhecimento, produtos e materiais para testes, análises e simulações.
Desde que a companhia começou capacitar técnicos para o setor industrial, em 1997, a SKF conseguiu formar cerca de 10 mil especialistas. “O portfólio de cursos segue uma abordagem de ensino combinada, usando uma variedade de metodologias como ensino eletrônico, sala de aula, exercícios práticos e acompanhamento de mentores no local para alcançar os objetivos de aprendizagem”, explica Gilberto Sanchez, gerente de Treinamento da SKF do Brasil.

SKF industrial
A divisão industrial da SKF atua em duas frentes: venda de produtos e execução de serviços em manutenção industrial. Os produtos da empresa, como rolamentos, correias, polias, acoplamentos e correntes, ajudam a aumentar a transmissão de potência de equipamentos industriais e a reduzir os custos das operações com paradas não programadas em máquinas e equipamentos. Por meio da execução de serviços, a companhia faz manutenção preditiva e proativa em sistemas rotativos e ajuda grandes conglomerados a obter mais eficiência na gestão de ativos.
Os clientes de serviços da SKF estão concentrados nos setores de papel e celulose, siderurgia, mineração, alimentos e bebidas, além do setor de petróleo e energia. Outros clientes têm contrato de desempenho com a SKF, que assume os riscos em eventuais falhas ocorridas em sistemas monitorados pela SKF.

SKF logo