Relatório O Poder do Futuro: A consumerização da fabricação de TI

2015 Fevereiro 04, 08:55 CEST

Os dispositivos inteligentes são uma história de sucesso do consumidor. Sua portabilidade e potência também estão ajudando a "smartificar" o setor de fabricação – e isso é apenas o começo, diz Christoffer Malm, chefe do Conectivity Room da SKF

Os dispositivos inteligentes, como iPhones e tablets, criaram uma revolução do consumidor. Parece que toda a casa tem um. Os smartphones têm a função dupla de equipamentos de som e de navegação por satélite, enquanto os tablets são usados como videogames e telas de cinema portáteis. Nos negócios também, os tablets são cada vez mais preferidos a laptops, principalmente para aumentar o envolvimento durante o processo de venda.

Agora, eles chegam ao setor de fabricação e engenharia, incluindo próprio chão de fábrica. Os fabricantes estão utilizando a conectividade, portabilidade e o poder de computação dos dispositivos inteligentes para "smartificar" o mundo da engenharia e criar sua própria revolução.

A SKF, é claro, está na vanguarda disso tudo. Desenvolvemos uma infraestrutura que permite aos usuários do setor – sejam eles altos executivos ou operários – incorporar dispositivos inteligentes em suas práticas de trabalho. Seja para manutenção portátil, instruções individuais ou simplesmente para abolir o papel, os dispositivos inteligentes estão ajudando as empresas de fabricação a aumentar sua produtividade.

Os possíveis ganhos são enormes. Vimos, por exemplo, ganhos de produtividade de 12% em equipes de engenharia armadas com tablets. Ele permite que elas realizem o trabalho de modo mais eficiente enquanto acessam e compreendem mais informações.

Estudos de casos

A App Store da Apple já oferece mais de 30 aplicativos desenvolvidos pela SKF. Todos eles foram criados pela equipe catalisadora de inovação digital da empresa, conhecida como Espaço para conectividade. Nesse espaço, nossos engenheiros utilizam seu conhecimento e experiência em aplicativos que podem ajudar os próprios funcionários da SKF e vários clientes. Todos esses aplicativos tomam nosso conhecimento e o traduzem em software, com análises avançadas e algoritmos de TI que processam os dados. Os dispositivos inteligentes são a janela de acesso a esse conhecimento.

Temos, por exemplo, um cliente importante com sede nos Estados Unidos que repara equipamentos industriais grandes, o que geralmente implica milhares de componentes. Por lei, cada etapa do processo precisa ser documentada. Até hoje, isso tem sido feito com caneta e papel, criando uma pilha de papéis caso haja reclamações de clientes. Agora, desenvolvemos um sistema de coleta de dados que é acessado através de um aplicativo baseado em telefone ou tablet. Agora, o enorme arquivamento de papéis pode ser substituído por um banco de dados, que o cliente pode acessar e compreender instantaneamente.

Usando o novo sistema, as informações sobre componentes ainda são inseridas manualmente, pois eles são de diferentes fornecedores. Alguns componentes podem ter um ID exclusivo, enquanto vários outros, não. Mas ainda é cedo para esse tipo de sistema. No futuro, em aplicações apropriadas, as peças talvez tenham códigos de barra ou transmitam um sinal único – eliminando completamente a necessidade de inserção manual. Com o registro da posição do técnico no chão da fábrica, a natureza de um determinado procedimento de manutenção e o momento em que ele é realizado, o dispositivo inteligente pode criar automaticamente um histórico de registro para cada peça.

Também desenvolvemos diversos aplicativos que transformam tablets e telefones em instrumentos de medição. Eles estão sendo testados em uma de nossas fábricas em Gotemburgo para ajudar a realizar a manutenção o mais rápido possível. Com a ajuda de um sistema de posicionamento interno (um tipo de GPS de chão de fábrica), o aplicativo indica a posição da equipe de manutenção no chão da fábrica. Quando uma máquina apresenta uma falha, é enviado um alarme, de preferência, à pessoa mais próxima, garantindo, assim, a resposta mais rápida possível.

Outros aplicativos orientam a equipe de manutenção em procedimentos de monitoramento. Os sensores geralmente são conectados a dispositivos inteligentes, transformando-os em dispositivos de medição de vibração, temperatura e outras medições importantes. Nossos engenheiros deram um passo a mais e adicionaram um aplicativo que informa o operador sobre a posição que o sensor deve ser colocado — para obter a melhor leitura e melhores resultados.

De modo semelhante, um sistema chamado AliSensor ShaftLaser simplifica o processo de alinhamento. Normalmente, durante o alinhamento, por exemplo, de um motor elétrico com uma bomba ou ventilador, um técnico geralmente leva consigo vários equipamentos pesados. Agora, graças aos dispositivos inteligentes e à minimização da tecnologia de sensores, o equipamento pesa muito menos. Através da orientação de suporte, visualização e instruções fornecidas pelo aplicativo, o treinamento é amplamente reduzido e a compreensão sobre o que fazer e quando fazer está muito mais clara. 

O AliSensor ShaftLaser não foi desenvolvido pela SKF, mas pela GLOi – especialista sueca em tecnologia de alinhamento que nós, estrategicamente, adquirimos em setembro de 2014. A GLOi desenvolveu a solução integrada de alinhamento de eixos, baseada na plataforma operacional iOS, usada por iPads e iPhones. A aquisição fez parte de nossa estratégia comercial e ilustra nosso compromisso com esse campo – e com esse tipo de tecnologia.

Vantagem móvel

Passamos mais de um ano desenvolvendo a Ferramenta de Suporte ao Operador Móvel (Mobile Operator Support Tool, MOST), que visualiza a linha de produção da fábrica e conecta os dados da máquina em tempo real. A MOST transformará a maneira que os operadores interagem com as máquinas, fornecendo a eles as informações certas, no momento e no local certo – através de um dispositivo móvel personalizado, como um tablet ou smartphone.

Fornecer essa variedade de informações, exatamente quando necessário, pode trazer vários benefícios. Os operadores poderão melhorar o desempenho de fabricação, diagnosticar e tomar decisões perto do problema. Eles serão informados instantaneamente sobre dados de processos de fabricação em tempo real, tais como o consumo de energia e a variabilidade de produtos – e poderão tomar medidas sobre isso.

De um modo geral, a MOST ajudará os operadores a superar muitos de seus problemas cotidianos, levando a uma maior satisfação com o trabalho e maior capacitação.

O principal objetivo da MOST é facilitar, ao máximo possível, o modo de fazer a coisa certa. Além de fornecer dados de processos diretamente aos operadores, ela inclui várias instruções – como redefinir máquinas e equipamentos, procedimentos de manutenção preventiva e muito mais. Isso agora estará na palma da mão do operador, em vez de em um manual em algum lugar.

Mesmo que a informação esteja na cabeça de outro funcionário, ela pode ser acessada rapidamente: um recurso do MOST é a ferramenta de comunicação, que permite aos operadores e gerentes enviar mensagens de texto entre si para resolver problemas. Esse recurso já provou ser extremamente eficaz durante os testes de fábrica em Gotemburgo.

De um ponto de vista estritamente empresarial, o uso dessa conectividade através de tablets e smartphones economizará grandes quantidades de tempo: Já disponibilizamos mais de 3.500 tablets para funcionários e clientes: cada usuário economizou cerca de 12% de seu tempo por semana, como consequência direta.

Uma das enormes vantagens dos dispositivos inteligentes é sua capacidade de simplificar os dados através da visualização clara. Além de fornecer compreensão instantânea dos grandes conjuntos de dados, eles podem ser usados para dar instruções simples que orientam os operadores em um determinado processo, e isso já foi implementado em diversos aplicativos da SKF (por exemplo, o AliSensor ShaftLaser para alinhamento de eixo).

A MOST também pode identificar a presença de seres humanos na fábrica. O departamento de tratamento térmico de nossa fábrica em Gotemburgo possui 8.500 m2, ocupados por uma equipe de manutenção reduzida. Além de determinar o operador mais próximo de uma máquina específica para ajudar na produtividade, o dispositivo inteligente pode atuar também como um alarme de segurança. Se um alerta "Onde você está?" não receber resposta, os operadores podem ser rapidamente rastreados – caso eles tenham desmaiado, por exemplo.

Navegação tranquila? 

Existem vantagens óbvias na utilização de dispositivos inteligentes na engenharia, mas um aviso de cuidado deve ser emitido. Assim como com qualquer tipo de tecnologia nova, existem obstáculos a serem ultrapassados, antes que seja totalmente aceita. Pois existem problemas a serem resolvidos e opiniões a serem mudadas.

O fluxo de dados é grande entre esses dispositivos, que dependem de WiFi ou 3G. Mas esse extra cria grandes preocupações sobre a segurança. A criação de mais serviços em nuvem fora do firewall apresenta um ponto fraco em potencial, e as empresas gostam de garantir que seus dados internos não sejam afetados.

Esses serviços podem ser acessados de várias formas, como http, https ou através de novos padrões. A proteção por senha será essencial, mas para tornar esses serviços utilizáveis deve haver um equilíbrio entre forte segurança e acesso imediato. Se você montar uma fortaleza, ninguém poderá usá-la; se proteger com uma só senha, os dados estarão em perigo. No final, isso será um cuidadoso equilíbrio entre os dois extremos.

Independentemente do tipo de tecnologia introduzido em uma empresa ou aos clientes, ela não pode, por si só, trazer uma mudança na forma de trabalho ou aperfeiçoamentos a uma determinada situação do usuário. A nova tecnologia sempre precisa estar harmonizada com as pessoas e os processos para ser bem-sucedida. Para ser realmente eficaz, agregar valor e causar um reprojeto da maneira de trabalhar ou de um processo específico, é necessária uma visão do papel desempenhado pelos dispositivos inteligentes. A integração e a visualização das informações nesses dispositivos tornam-se, então, a verdadeira inovação. Isso é algo que requer pensar muito, muita perseverança e muita motivação.

Você também precisa considerar as pessoas que ajudam no processo e, provavelmente, as que usam o dispositivo inteligente. Como a tecnologia inteligente as afeta? Como ela muda sua rotina e atividades em geral? Qual é o seu nível de experiência no uso de dispositivos Inteligentes? Perguntas como essas devem ser consideradas para promover a adoção de qualquer tecnologia nova e para antecipar qualquer possível resistência, de maneira que ela possa ser tratada de maneira proativa. Em alguns casos, essas questões precisam ser resolvidas em um nível muito mais alto em uma organização, já que sua cultura, valores e atitudes em geral em um nível corporativo, para a tecnologia, também terão um impacto significativo sobre como a tecnologia é utilizada e, em última instância, quanto de vantagem ela oferece.

Sobrecarga de Informações?

A chave para sistemas como a MOST é compreender os dados. Gerar informações é uma coisa; gerenciá-las é outra. Para tirar total proveito desse enorme conjunto de novos dados, eles precisam ser filtrados e apresentados claramente. Teremos hardware de classe superior, dispositivos inteligentes, aplicativos que reúnem e coletam informações, além de painéis, mas grande parte do enfoque será na manutenção e em garantir a qualidade dos dados e em como compreendê-los.

Precisamos simplificar a visualização dos dados, de forma que informações complexas possam ser imediatamente compreendidas – e resolvidas – por técnicos e pela equipe de manutenção. Precisa ter uma interface simples com análise de dados avançada.

Lidar com essa sobrecarga de dados será fundamental. Dentro de três anos, teremos que olhar a gestão do PA (ponto de acesso) sem fio, como ele é chamado no setor de TI, criando uma interface que integre todos os diferentes fluxos de dados.

O objetivo é simples: apresentar as informações necessárias claramente, e em tempo real, permitindo que os destinatários desses dados possam agir rapidamente em relação a elas.

Na SKF, já traçamos uma longa jornada para a mobilidade. Com a evolução da tecnologia em um ritmo acelerado, não há dúvida de que, em um futuro não muito distante, as coisas terão avançado ainda mais.

Os dispositivos inteligentes serão cada vez mais a janela através da qual as informações serão fornecidas. Hoje em dia, isso é feito utilizando-se modelos do mercado como iPhones e iPads, reforçados por estojos resistentes para ficarem em conformidade com a classe de proteção IP68. No futuro, eles serão dispositivos adaptados – mais finos, mais robustos e com novos recursos incorporados.

Os dispositivos inteligentes já comprovaram seu uso exigente mercado consumidor. Se o setor de fabricação tivesse adotado a tecnologia com o mesmo entusiasmo, pense onde poderíamos estar em termos de produtividade.

SKF logo