Cálculo da carga axial de rolamentos montados individualmente ou em pares e dispostos em tandem

Quando uma carga radial é aplicada em um rolamento de uma carreira de esferas de contato angular, a carga é transmitida de uma pista para a outra em um ângulo em relação ao eixo do rolamento e uma força axial interna é induzida. Deve-se considerar este fato no cálculo das cargas equivalentes de arranjos de rolamentos que compreendam dois rolamentos individuais e/ou em pares dispostos em tandem.
As equações necessárias para rolamentos com ângulo de contato α =40 °C são fornecidas na tabela 1 e para rolamentos com outros ângulos de contato na tabela 2 As equações são válidas somente quando os rolamentos são ajustados um contra o outro com folga praticamente zero, mas sem nenhuma pré-carga. Nos arranjos mostrados, o rolamento A está submetido a uma carga radial FrA e o rolamento B, à carga radial FrB. Ambos os valores FrA e FrB são sempre considerados positivos, mesmo quando atuam na direção oposta à mostrada nas figuras. As cargas radiais atuam nos centros de pressão dos rolamentos (distância a → tabelas de produtos).
A variável R da tabela 1 leva em consideração as condições de contato no interior do rolamento para os que possuem um ângulo de contato α = 40°. Os valores de R podem ser obtidos a partir do diagrama 1, como uma função do coeficiente Ka/C. Ka é a força axial externa que atua sobre o eixo ou sobre o mancal e C é a classificação de carga dinâmica básica do rolamento, a qual deve acomodar a força axial externa.
Use R = 1 para Ka = 0.
SKF logo