Relação de viscosidade κ

A importância da viscosidade do óleo para formar um filme hidrodinâmico de óleo que separa as superfícies de contato do rolamento já foi mencionada em Condições de lubrificação – a relação de viscosidade κ. Essas informações se aplicam igualmente à viscosidade do óleo base das graxas lubrificantes e óleos.
A condição do lubrificante é descrita pela relação de viscosidade κ como a relação entre a viscosidade real ν e a viscosidade nominal ν1 para lubrificação adequada, quando o lubrificante está em uma temperatura operacional normal.



onde
κ
=relação de viscosidade
ν=viscosidade operacional real do lubrificante [mm2/s]
ν1=viscosidade nominal do lubrificante, dependendo do diâmetro médio do rolamento e da velocidade de rotação [mm22/s]
Para separar as superfícies de contato do rolamento, é necessária uma relação de viscosidade mínima κ = 1. Existem condições de filme completo quando κ ≥ 4, ou seja, quando um filme hidrodinâmico suficiente for criado para uma lubrificação adequada. No entanto, a SKF recomenda a limitação de κ a 4, caso contrário, o calor do atrito diminuirá a viscosidade operacional.
Em aplicações onde κ < 1, um filme hidrodinâmico suficiente não pode ser criado e pode ocorrer o contato de metal com metal. O uso de lubrificantes que contenham aditivos antidesgaste ou pressão extrema (→ Capacidade de carga) pode estender a vida útil do rolamento.
Para aplicações lubrificadas com óleo em que κ < 0,4, deve ser usado um óleo com aditivos EP.
Em aplicações em que κ < 1, os rolamentos híbridos (→ Rolamentos híbridos) podem ser considerados. Mesmo em condições de lubrificação inadequadas, risco de formação de marcas entre o nitreto de silício e o aço é reduzido.
SKF logo