Relubrificação

As unidades de rolamento SKF ConCentra normalmente são relubrificadas para que se obtenha o máximo em vida útil. Todas as unidades de rolamentos têm um furo de lubrificação com rosca 1/8-27 NPSF. Elas são fornecidas, por padrão, com um pino graxeiro AH 1/8-27 PTF, exceto para a variante sem relubrificação, que tem o furo para lubrificação tampado.
Intervalos de relubrificação

O intervalo de relubrificação tf para unidades de rolamento SKF ConCentra (excluindo a variante que dispensa relubrificação) pode ser obtido em função:

  • da temperatura operacional
  • da velocidade de rotação n [r/min]
  • do diâmetro médio do rolamento dm [mm] (tabela 1)
  • o fator do rolamento bf (tabela 1, para valores de e)
    – bf = 2 quando Fa/Fr ≤ e
    – bf = 6 quando Fa/Fr > e
  •  da relação de cargas
    – P ≤ 0,05 C (diagrama 1)
    – P = 0,1 C (diagrama 2)
    – P = 0,15 C (diagrama 3)

A classificação de carga dinâmica básica C é indicada nas tabelas de produtos para unidades na série SYNT e na série FYNT. A carga dinâmica equivalente do rolamento P pode ser obtida de 

P = Fr + Y1Fa quando Fa/Fr ≤ e
P = 0,67Fr + Y2F quando Fa/Fr > e

onde
P = carga dinâmica equivalente do rolamento [kN]
Fr = componente radial da carga do rolamento [kN]
Fa = componente axial da carga do rolamento [kN]
Y1,Y2 = fatores de cálculo de carga axial para o rolamento (tabela 1)
e = valor-limite para Fa/Fr (tabela 1)

Os intervalos de relubrificação calculados representam a vida útil da graxa L1, que se refere ao período de tempo ao final do qual 99% das unidades de rolamento ainda estão lubrificadas confiavelmente. Os intervalos são valores estimados, aplicáveis a unidades de rolamentos montadas em eixos horizontais, em um ambiente relativamente limpo. Quando as condições operacionais diferem, os intervalos de relubrificação devem ser ajustados como a seguir:

  • Para um eixo vertical, o intervalo deve ser a metade.
  • Para rotação do anel externo ou carga rotativa, o intervalo deve ser a metade.
  • Para ambientes contaminados, os seguintes fatores de redução devem ser utilizados:
    – 0,5 para contaminação moderada
    – 0,3 para contaminação severa
    – 0,1 para contaminação muito severa


Procedimento de relubrificação
Antes da relubrificação, o pino graxeiro e a área ao redor devem ser limpos. Equipamentos de limpeza de alta pressão devem ser evitados. Durante a relubrificação, a graxa deve ser introduzida pela conexão de graxa (fig. 1) enquanto o eixo gira lentamente. Deve-se evitar pressão excessiva e excesso de graxa, caso contrário, as vedações podem ser danificadas.
Quantidade de relubrificação
A quantidade apropriada de graxa para a relubrificação de unidades de rolamento SKF ConCentra é indicada na tabela 2.
Graxas para relubrificação
Para relubrificar unidades de rolamento SKF ConCentra, a SKF recomenda a utilização da graxa SKF LGEP 2, que é totalmente compatível com a graxa original introduzida na fábrica. Outras graxas compatíveis, como as graxas SKF multiuso LGMT 2 e LGMT 3, também podem ser utilizadas.
SKF logo