Lubrificação a graxa

Os valores para o fator de ajuste da carga do rolamento (f P) fornecidos no diagrama 1, diagrama 2, diagrama 3 e diagrama 4 são válidos para lubrificação a graxa. Quando forem usadas graxas com viscosidade do óleo base entre 100 e 200 mm2/s a 40 °C , a velocidade de referência não precisará ser ajustada (fv =1). Para outras viscosidades do óleo base, o valor para fn deve ser comparado com o valor do óleo ISO VG 150. A velocidade de referência ajustada para lubrificação a graxa pode ser estimada usando

nar = nr fp (fν viscosidade do óleo base real/fν ISO VG150)

Exemplo 1

Um rolamento rígido de esferas SKF Explorer 6210 é lubrificado através de um banho de óleo. A viscosidade do óleo é 68 mm2/s a 40 °C , carga P = 0,24 C0. Qual é a velocidade de referência ajustada?
Para o rolamento 6210: dm = 0,5 (50 + 90) = 70 mm e nr = 15 000 r/min. No diagrama 1, com dm = 70 mm e P/C0 = 0,24, fP = 0,63 e com P/C0 = 0,24 e ISO VG 68, fv = 0,85.

nar = 15.000 x 0,63 x 0,85 = 8.030 r/min
A velocidade limite para esse rolamento é 10.000 r/min, que é maior que sua velocidade de referência ajustada. Em casos como esse, a menor das duas velocidades nominais é a mais importante para a vida útil do rolamento. Em geral, as velocidades até a velocidade de referência ajustada oferecem condições favoráveis para uma maior vida útil do rolamento. Velocidades maiores até a velocidade limite do rolamento podem, a princípio, serem usadas após avaliação mais aprofundada das condições específicas de temperatura ao redor do arranjo de rolamentos.

Exemplo 2

Um rolamento autocompensador de rolos SKF Explorer 22222 E lubrificado com graxa é submetido a uma carga P = 0,15 C0. A graxa tem uma viscosidade do óleo base de 220 mm2/s a 40 °C . Qual é a velocidade de referência ajustada?
Para o rolamento 22222 E: dm = 0,5 (110 + 200) = 155 mm e nr = 3.000 r/min. No diagrama 2 com dm = 155 mm e P/C0 = 0,15, fP = 0,53 e com P/C0 = 0,15 e ISO VG 220, fν actual = 0,83; com P/C0 = 0,15 e ISO VG 150, fν ISO VG 150 = 0,87.

nar = 3.000 + 0,53 + 0,83/0,87 = 1.520 r/min
Até essa velocidade, as condições térmicas do rolamento são geralmente consideradas normais. Velocidades mais altas, até a velocidade limite de 4.000 r/min, também podem ser consideradas em determinadas circunstâncias. Isso requer uma avaliação do aumento de temperatura da aplicação, com base nas condições reais de atrito e refrigeração na aplicação. Em casos como esse, o lubrificante, a dissipação de calor, a folga interna do rolamento e a precisão dos assentos do rolamento devem ser verificados e adaptados para suportar velocidades mais altas. Para esses tipos de avaliações, entre em contato com o serviço de engenharia de aplicação SKF.
SKF logo