Modelos e variantes

Sortimento padrão SKF

O sortimento de rolamentos autocompensadores de rolos SKF é o mais amplo disponível no mercado. O sortimento padrão inclui:
  • rolamentos dos modelos CC, CA e E
  • rolamentos vedados
  • rolamentos para aplicações vibratórias
  • rolamentos para aplicações de energia eólica

Todos os rolamentos autocompensadores de rolos SKF são rolamentos SKF Explorer e quase todos os rolamentos estão disponíveis com a opção de um furo cônico. Dependendo da série do rolamento, o furo cônico possui:

  • uma conicidade 1:12 (sufixo de designação K)
  • uma conicidade 1:30 (sufixo de designação K30)

Para tamanhos e variantes não listados na tabela de produto, entre em contato com a SKF.

rolamentos dos modelos CC, CA e E

Rolamento do modelo CC

  • possuem duas gaiolas tipo janela de aço estampado, um anel interno sem flanges e um anel-guia flutuante centrado no anel interno (fig. 1)
  • são indicados na Tabela de produtos pelo sufixo de designação C ou CC
  • são indicados na tabela de produtos pelo sufixo de designação EC ou ECC para rolamentos maiores e têm um projeto interno otimizado para proporcionar maior capacidade de carga

Rolamentos do modelo CA

  • apresentam uma gaiola de latão usinado de duas peças do tipo pente, um anel interno com um flange de retenção em ambos os lados e um anel-guia flutuante centrado no anel interno (fig. 2). Os flanges do anel interno são projetados para manter os rolos no lugar, ao desviar o rolamento durante a montagem ou manutenção e não são desenvolvidos para orientar os rolos ou acomodar carga axial.
  • são indicados na tabela de produtos pelo sufixo de designação CA
  • são indicados na tabela de produtos pelo sufixo de designação ECA para rolamentos maiores e têm um projeto interno otimizado para proporcionar maior capacidade de carga

Rolamentos do modelo E

  • possuem duas gaiolas tipo janela de aço estampado, um anel interno sem flanges e um anel-guia flutuante centrado no anel interno (d ≤ 65 mm) ou nas gaiolas (d > 65 mm) (fig. 3)
  • são indicados na tabela de produtos pelo sufixo de designação E
  • tem um projeto interno otimizado para proporcionar maior capacidade de carga

Para obter mais informações sobre a adequação das gaiolas → Gaiolas e Materiais da gaiola.

Canal circular e furos para lubrificação

  • Os rolamentos dos modelos CC e CA SKF estão disponíveis com um canal circular e três furos para lubrificação no anel externo (sufixo de designação W33) ou três furos para lubrificação no anel externo (sufixo de designação W20) (fig. 4).
  • Os rolamentos modelo SKF E (fig. 3) possuem um canal circular e três furos para lubrificação por padrão. Este recurso não é identificado na designação do rolamento (sem sufixo de designação).
Rolamentos vedados
  • têm as mesmas características e projeto interno dos rolamentos autocompensadores de rolos abertos
  • estão disponíveis por padrão com furo cilíndrico
  • são fornecidos lubrificados com graxa e não devem ser lavados
  • estão disponíveis com um canal circular e três furos para lubrificação no anel externo, exceto aqueles com o sufixo de designação W
  • são equipados com uma vedação de contato, em um ou ambos os lados, feita de um dos materiais a seguir:
    • NBR reforçada com aço laminado (sufixo de designação CS ou RS)
    • HNBR reforçada com aço laminado (sufixo de designação CS5 ou RS5)
    • FKM reforçada com aço laminado (sufixo de designação CS2)

Para obter informações adicionais sobre materiais → Materiais da vedação.

As vedações são colocadas em um rebaixo no anel externo e vedam contra o anel interno (fig. 5). Em rolamentos maiores, as vedações são fixadas por um anel de retenção (fig. 6).

Os rolamentos vedados em ambos os lados são lubrificados para toda a vida útil do rolamento e praticamente dispensam manutenção (→ Vida útil da graxa para rolamentos vedados). Eles são preenchidos com uma das seguintes graxas (tabela 1):
  • Graxa SKF LGEP 2 (sufixo de designação VT143) como padrão
  • Graxa SKF LGHB 2 (sufixo de designação GEM) ou Graxa LGWM 2 (sufixo de designação GLE) sob encomenda
Para obter informações adicionais sobre graxas → Lubrificação.

Vida útil da graxa em rolamentos vedados

A vida útil da graxa para os rolamentos vedados é apresentada como L10, ou seja, o período de tempo ao final do qual 90% dos rolamentos ainda estão confiavelmente lubrificados, e depende da carga, da temperatura operacional e do fator de velocidade. Pode ser obtida para rolamentos com graxa-padrão SKF LGEP 2 (sufixo de designação VT143) de:

A vida útil da graxa é válida sob as seguintes condições operacionais:
  • eixo horizontal
  • rotação do anel interno
  • temperatura operacional dentro da zona verde de temperatura da graxa (→ tabela 1)
  • máquina estacionária
  • baixos níveis de vibração
  • relação de carga Fa/Fr ≤ e (→ tabela de produtos)
  • velocidade de rotação abaixo da velocidade-limite (→ tabela de produtos) e abaixo dos limites listados na tabela 2

Em outras condições operacionais, a vida útil da graxa pode ser estimada multiplicando-se o intervalo de relubrificação de rolamentos abertos (→ Relubrificação) pelo fator 2,7.

Relubrificação de rolamentos vedados

Quando a vida útil exigida for maior que a vida útil da graxa, os rolamentos podem precisar de relubrificação. A quantidade de graxa apropriada para relubrificar os rolamentos vedados pode ser obtida, utilizando-se

Gp = 0,0015 D B

onde
Gp
=
quantidade de graxa [g]
D
=
diâmetro externo do rolamento [mm]
B
=
largura do rolamento [mm]

A graxa deve ser aplicada lentamente pelos furos para lubrificação no anel externo, preferencialmente enquanto o rolamento é girado, para evitar danificar as vedações. A SKF recomenda relubrificar com a mesma graxa que o preenchimento inicial.

AVISO

Os rolamentos com sufixo de designação CS2 têm vedações em FKM (fluoelastômero). O FKM exposto a chamas ou a temperaturas acima de 300 °C (570 °F) representa um risco à saúde e ao ambiente. Ele permanece perigoso, mesmo depois de ter esfriado.

Leia e siga as precauções de segurança sob este AVISO.

Rolamentos para aplicações vibratórias
  • estão disponíveis na série 223
  • estão disponíveis com furo cilíndrico ou cônico
  • apresentam folga interna radial C4 como padrão
  • são fornecidos com um canal circular e furos para lubrificação no anel externo
  • estão disponíveis com um furo cilíndrico revestido com PTFE (sufixo de designação VA406), que evita a corrosão por contato entre o eixo e o furo do rolamento, para alongamento térmico do eixo nas posições de rolamentos livres com uma carga no anel externo rotativo. Portanto, os eixos não requerem tratamentos térmicos especiais ou revestimentos.
  • são fabricados em um dos modelos a seguir:
    • Os rolamentos E/VA405 (fig. 7) possuem duas gaiolas do tipo janela de aço estampado com superfície temperada, um anel interno sem flanges e um anel-guia centrado no anel interno ou nas gaiolas.
    • Os EJA/VA405 e CCJA/W33VA405 (fig. 8 e fig. 9) possuem duas gaiolas do tipo janela de aço estampado com superfície temperada, anel interno sem flanges e anel-guia centrado na pista do anel externo.

Aceleração
As aplicações vibratórias induzem acelerações dos rolos e gaiolas nos rolamentos. Essa característica impõe outras exigências ao projeto do rolamento. Os rolamentos autocompensadores de rolos da SKF para aplicações vibratórias podem suportar acelerações consideravelmente maiores do que os rolamentos padrão correspondentes. A aceleração permitida depende do lubrificante e do modo de aceleração.

  • Modo 1

    O rolamento é submetido a uma carga giratória do anel externo, juntamente a um campo de aceleração giratória, ou um campo de aceleração angular induzida internamente devido a variações rápidas de velocidade. Essas acelerações fazem com que os rolos sem carga gerem cargas cíclicas sobre as gaiolas. Exemplos: peneiras vibratórias (fig. 10)), excitatrizes, engrenagens planetárias e arranjos em geral sujeitos a partidas rápidas ou a as variações de velocidade rápidas.

  • Modo 2

    O rolamento é submetido a cargas de impacto, que geram uma aceleração linear em uma direção radial constante, fazendo com que os rolos sem carga “martelem” as bolsas da gaiola. Exemplo: aceleração gerada quando as rodas giram sobre as juntas dos trilhos (fig. 11).

Os rolos compressores, em que o rolo vibra contra uma superfície relativamente rígida, são submetidos a uma combinação de aceleração do modo 1 e 2. Os valores de aceleração permitida estão indicados na tabela de produtos e são válidos para rolamentos com lubrificação por óleo. Os valores são expressos em múltiplos de g, onde g é a aceleração da gravidade (g = 9,81 m/s 2).

Soluções do sistema para peneiras vibratórias

Além dos rolamentos individuais para peneiras vibratórias, a SKF desenvolveu arranjos de rolamentos e detecção de falhas que poderão aperfeiçoar o desempenho, reduzir a necessidade de manutenção e monitorar a condição da máquina em equipamentos vibratórios.

AVISO

Os revestimentos de PTFE expostos a chamas ou a temperaturas acima de 300 °C (570 °F) representam um risco à saúde e ao meio ambiente. Elas permanecem perigosas, mesmo depois de terem esfriado.

Leia e siga as precauções de segurança sob este AVISO.

Rolamentos para aplicações de energia eólica
  • estão disponíveis na série 240, a partir de d ≥ 530 mm
  • foram projetados especificamente para eixos de principais de turbinas eólicas
  • têm uma geometria interna otimizada com rolos de grande diâmetro e ângulo de contato elevado para maior capacidade de carga axial (fig. 12)
  • têm uma gaiola de ferro fundido guiada por rolos para maior robustez
  • não têm anel-guia
  • têm um canal circular no anel externo e seis furos para lubrificação
  • são indicados na tabela de produtos pelo sufixo de designação BC

Rolamentos personalizados

A SKF pode personalizar rolamentos para atender às necessidades de aplicações em que os rolamentos estão sujeitos a condições operacionais únicas. Por exemplo, rolamentos para:
  • prensas gráficas, fábricas de papel ou sistemas de revestimento de alta precisão
  • condições operacionais muito severas, por exemplo, lingotamentos contínuos
  • rolamentos para aplicações de alta velocidade
  • montagem com ajuste com folga em pescoços de cilindros
  • veículos ferroviários

Rolamentos para aplicações em velocidades muito altas

  • têm velocidades-limite 50% mais altas do que os rolamentos padrão
  • estão disponíveis nas séries 223, 232, 240 e 241 em uma execução especial
  • são identificados pelo sufixo de designação VA991
  • atendem a uma necessidade de mercado de redutores de engrenagens industriais de vários megawatts
Para obter mais informações sobre rolamentos autocompensadores de rolos para aplicações específicas, entre em contato com a SKF.
SKF logo