Rolamentos de esferas de contato angular

Rolamentos de uma carreira de esferas de contato angular são geralmente montados como conjuntos, em um arranjo em O (fig. 1, fig. 2) ou em X (fig. 3) que normalmente está sujeito a uma pré-carga axial. A pré-carga é produzida, deslocando-se um anel do rolamento axialmente em relação ao outro (fig. 1, fig. 3) por uma quantidade correspondente à força de pré-carga desejada ou por meio de molas (fig. 2).
A folga dos rolamentos pareados e de pareamento universal é retificada com precisão de maneira que, quando dois rolamentos são montados imediatamente adjacentes entre si, uma determinada pré-carga é obtida sem ajustes adicionais. Essa força de pré-carga também pode ser influenciada pelo ajuste interferente e pelas condições operacionais. Para obter informações adicionais, consulte Pré-carga em conjuntos de rolamentos montados.
Se for necessário alterar a pré-carga, podem ser usados espaçadores nos anéis do rolamento. Para obter informações adicionais, consulte Ajuste individual de pré-carga.

Influência de uma carga externa em conjuntos de rolamentos pré-carregados

A influência de uma carga axial externa em conjuntos de rolamentos pré-carregados é ilustrada no diagrama 1. As curvas representam as características de mola de dois rolamentos em um arranjo em O. A curva azul representa o rolamento A, que está sujeito a uma força axial externa Ka. A curva vermelha representa o rolamento B, que é descarregado pela força axial.
Cada um dos dois rolamentos é pré-carregado por um deslocamento axial δ0 de um anel do rolamento em relação ao outro, resultando em uma força de pré-carga F0 que atua sobre os dois rolamentos. Quando o rolamento A estiver sujeito a uma força axial externa Ka, a carga no rolamento aumentará para FaA, enquanto a carga do rolamento B diminuirá para FaB. O deslocamento axial dos anéis do rolamento segue as curvas de mola. δKa é o deslocamento do conjunto de rolamentos, enquanto δKb é a pré-carga restante [µm] no rolamento B.
Quando as forças axiais do eixo-árvore atingirem a força de elevação natural Ka1, o rolamento B ficará totalmente descarregado. Quando isso acontecer, há um grande risco de que as esferas descarregadas parem de rolar e comecem a derrapar, o que resultará em falha prematura do rolamento, caso isso ocorra por qualquer período de tempo.
A força de elevação varia de acordo com a pré-carga e o arranjo de rolamentos (tabela 1). É possível evitar os fenômenos de força de elevação de duas formas: aumentando-se a pré-carga ou usando-se conjuntos de rolamentos com ângulos de contato diferentes. Para obter informações adicionais, entre em contato com o serviço de engenharia de aplicação SKF.

Pré-carregamento com molas

O uso de molas para aplicar pré-carga a rolamentos de esferas de contato angular é comum, sobretudo em eixos-árvore de retificação de alta velocidade. As molas agem no anel externo de um dos dois rolamentos. Esse anel externo deve ser capaz de se deslocar axialmente. A força de pré-carga permanece praticamente constante, mesmo quando há um deslocamento axial do rolamento como resultado de expansão térmica do eixo. Para obter mais informações referentes à pré-carga com molas e valores para força de pré-carga, consulte Pré-carga com força constante.
A pré-carga com molas não é adequada para aplicações em que um alto grau de rigidez é necessário, em que a direção da carga é alterada ou em que cargas de choque indeterminadas podem ocorrer.
SKF logo