Capacidade de transmissão de potência

O torque transmitido pelo acoplamento OKC é diretamente proporcional à pressão da superfície entre a bucha interna do acoplamento e o eixo depois de a bucha externa ter sido deslocada axialmente. O deslocamento necessário, que é atingido quando o diâmetro da bucha externa tiver aumentado a dimensão D para os acoplamentos OKC, OKCS e OKCX, e o comprimento do deslocamento indicado para os acoplamentos OKF fornecidos nas tabelas, garantirão uma pressão de 120 N/mm2 para os acoplamentos OKC e OKCS, 70 N/mm2 para os acoplamentos OKCX e 100 N/mm2 para os acoplamentos OKF.
A tabela lista o torque máximo que pode ser transmitido, que calculado usando a equação:
Mtmax = π da2 B p μ / 2000

onde
Mtmax=torque transmissível máximo [Nm]
da=diâmetro do eixo [mm]
B=comprimento da pressão eficaz (igual a da) [mm]
p=pressão mínima da superfície entre o eixo e a bucha interna [N/mm2]
  • 120 N/mm2 para OKC e OKCS
  • 70 N/mm2 para OKCX
  • 100 N/mm2 para OKF
μ=
coeficientes de atrito (0,14, para OKCX 0,3)
Se o acoplamento está sujeito a forças axiais, o efeito delas na capacidade de transmissão de potência é normalmente insignificante. O torque transmissível é obtido a partir da equação

Mt = √(Mtmax2 - ( Fa da / 2000)2)

onde
Mtmax=torque transmissível máximo [Nm]
Fa=força axial [N]
da=diâmetro do eixo [mm]
O torque permitido é obtido a partir de:

M = Mtmax ou Mt / f

onde
M=torque permitido [Nm]
Mtmax=torque transmissível máximo [Nm]
f=fator de segurança, que pode ser selecionado a partir da tabela
SKF logo