Cookies no site da SKF

A SKF usa cookies nos sites para ajustar ao máximo as informações exibidas com as preferências de nossos visitantes, como as opções de país e idioma.

Você aceita o uso de cookies da SKF?

Interface de ferrovias aprimora a efetividade do teste de motores de locomotiva

  • Artigo

    2016 Setembro 23, 13:00 CEST

    Uma interface com design personalizado para equipamentos de teste de motores SKF Baker ajudou uma empresa de transporte dos EUA a melhorar os procedimentos de manutenção, ao mesmo tempo que reduziu custos, afirmou Mike Teska, gerente de linha de produtos da SKF

    Manter trens de carga nos trilhos é uma operação de extrema importância e, se não for bem executada, pode acarretar em reparos não planejados e muito caros. Esses custos podem ser administrados por meio de testes regulares, que garantem que as possíveis falhas sejam observadas com antecedência.

    As falhas de motores de tração CA em sistemas de transporte ferroviário são um componente importante por trás das quebras. Apesar disso, os procedimentos de testes para motores de tração CA geralmente são incompletos e não verificam todo o motor. Ao mesmo tempo, os testes costumam ser específicos para o técnico: geralmente não há um método claro que garanta que todos os testes sejam realizados ou que todos os resultados sejam registrados com precisão.

    A BNSF, maior empresa de transporte ferroviário dos EUA, enfrentou esses tipos de problemas. A empresa desejava melhorar a disponibilidade e a confiabilidade dos trens, pois havia muitas falhas no motor enquanto os trens estavam sobre os trilhos. Isso acarretou em reparos caros ao motor de tração e, também, ao acionamento do motor.

    Foi quando o SKF Baker entrou para ajudar. Foram fornecidos 24 testes de motor automatizados do Baker AWA-IV à BNSF, que permitiu aos técnicos da empresa executar testes mais abrangentes em seus motores de tração CA. Além disso, os dispositivos foram instalados com uma interface de usuário com projeto personalizado que auxiliou os técnicos a executar os testes de forma mais consistente, orientando-os em cada procedimento de teste. A interface foi desenvolvida especificamente para a BNSF, mas pode ser facilmente adaptada aos requisitos de outras empresas ferroviárias.

    Troca de kits

    A BNSF usava testes diferentes para seus motores, mas os equipamentos tornaram-se insuficientes: eles verificavam somente o isolamento da base e não forneciam informações essenciais sobre enrolamentos, por exemplo, o isolamento entre espiras, que é a causa mais prevalente das falhas elétricas de motores. O Baker AWA-IV ofereceu uma cobertura de falhas mais completa, o que foi crucial para melhorar a confiabilidade dos motores. Motores de tração CA para trens elétricos a diesel são acionados por acionamentos de velocidade variável (VSDs), o que gera grande tensão nos enrolamentos de motores devido a transientes de tensão rápidos. Identificar falhas de enrolamento nesse caso é, portanto, fundamental.

    Entretanto, usar a peça correta do kit de teste foi somente uma parte da resposta. Os trens são equipamentos complexos. Quando testados, isso deve ser feito de forma adequada e consistente. Foi essencial garantir que todos os técnicos da empresa executassem exatamente o mesmo teste, na mesma ordem, com os mesmos parâmetros e limites.

    Portanto, o SKF Baker desenvolveu uma interface de usuário personalizada para o dispositivo para orientar o técnico durante o teste e o processo de solução de problemas.

    Introduzir um regulamento de teste por toda a organização significa apresentar uma sequência de teste “principal” centralizada. A sequência é acessada de um local central e pode ser ajustada, se necessário. Portanto, se as condições para teste precisarem ser mudadas, por meio da alteração da tensão ou duração do teste, por exemplo, isso poderá ser feito centralmente e, em seguida, atualizado automaticamente em cada dispositivo de teste AWA.

    Especial importância

    A consistência do teste é sempre importante, porém, apresenta uma relevância significativa aqui. Normalmente, uma oficina de reparo em uma organização lidará com uma ampla variedade de motores e é improvável ver dois motores idênticos em um período de tempo de seis meses. Nesse caso, no entanto, as mesmas locomotivas e os mesmos motores chegam todos os dias, portanto, faz sentido introduzir o máximo de automação e consistência possíveis.

    As sequências de testes são centralizadas, assim como os resultados dos testes. Isso permite que a empresa execute relatórios eficazes por meio da análise dos resultados de vários testes. Os dados podem revelar como um motor deve ser protegido, por exemplo, ou um problema sistêmico nos cabos do alimentador que estão conectados a ele.

    A BNSF solicitou, também, que os resultados do teste sejam exibidos como “aprovado/reprovado”, ao invés de um valor específico. Isso significa que os técnicos não devem refazer o teste em um motor, se o resultado for “fechar”. Os resultados de teste com detalhes completos são armazenados centralmente, o que permite controle estatístico dos testes. Mais uma vez, isso exclui outro nível de variação do procedimento de teste.

    A interface personalizada foi projetada especialmente para a BNSF, mas pode ser facilmente adaptada para outras empresas ferroviárias: toda empresa tem diferentes requisitos de segurança no trabalho, procedimentos de teste e diferentes parâmetros de teste específicos, e cada interface nova pode levar isso em conta. Por exemplo, a BNSF incorporou um procedimento de teste para habilitar a função “condições de chuva”. Em uma oficina de reparo, o trem está protegido, mas, quando estiver nos trilhos, ele frequentemente estará sujeito a condições climáticas extremas. A interface do SKF Baker implementou um procedimento de teste em que, após o teste “padrão”, os condutores do motor foram borrifados com água e o motor foi testado novamente. Esse é o tipo de “lógica de teste” que está além dos recursos dos testes-padrão.

    A interface certamente auxiliou a BNSF: após trocar para os testes do SKF Baker AWA-IV, o recurso de teste aprimorado e a consistência superior resultaram em uma redução de 5% nas falhas do motor ao ano, e uma redução de 40% na eliminação do módulo de fase.

    E, por ter gerado o retorno do investimento (ROI) em um ano, foi um dinheiro bem aplicado para a empresa.

    O SKF Baker AWA-IV com interface personalizada, será apresentado na exposição Innotrans, em Berlim, de 20 a 23 de setembro de 2016.

    Aktiebolaget SKF
    (publ.)

    Para obter mais informações, entre em contato:
    Assessoria de imprensa: Nia Kihlström, +46 31 337 6418; +46 705 77 6418, nia.kihlstrom@skf.com

    A SKF é um dos principais fornecedores globais de rolamentos, vedações, mecatrônica, sistemas de lubrificação e serviços que incluem suporte técnico, serviços de manutenção e confiabilidade, consultoria em engenharia e treinamento. A SKF está representada em mais de 130 países e possui cerca de 17 mil distribuidores em todo o mundo. As vendas anuais em 2015 foram de 75,997 bilhões de coroas suecas, e a empresa empregava 46.635 funcionários. www.skf.com

    ® SKF é uma marca registrada do Grupo SKF.

  • Imagem

Download do kit de imprensa

Kit de imprensa (1.4 MB)

SKF logo