Cookies no site da SKF

Nós utilizamos cookies para assegurar que você tenha a melhor experiência em nossos sites e em nossos aplicativos da Web. Caso você continue sem alterar as configurações de seu navegador, entenderemos que você deu seu consentimento para receber cookies. No entanto, você poderá alterar as configurações de cookies de seu navegador a qualquer momento.

Realizações até o momento

Desempenho em emissões de carbono 2002-2011

Como em outros aspectos da nosso impacto ambiental, quando em ação para reduzir as emissões globais de carbono, a SKF seguiu o princípio de "iniciar em nosso próprio quintal".

A posse direta e o gerenciamento das instalações da SKF proporciona à empresa total responsabilidade e a capacidade direta de minimizar as emissões de carbono associadas ao consumo de energia direto. Portanto, em 2002, o grupo definiu sistemas de relatórios de energia e emissões de dióxido de carbono para suas próprias instalações e definiu metas claras para reduzir as emissões até 2007.

Já tendo atingido essas primeiras metas em 2005, em 2006 houve o lançamento de estratégias e metas mais amplas e agressivas, exigindo redução absoluta nas emissões de carbono resultantes do consumo direto de energia em instalações da SKF em 5% por ano, independente do desenvolvimento do volume.

Essa nova meta foi cumprida ano após ano por uma estratégia concentrada na redução de intensidade de energia nas fábricas e intensidade de carbono da energia utilizada.

Os requisitos de energia anual total do grupo foram reduzidos em mais de 10% no período entre 2002 e 2011, quando o negócio da SKF (vendas líquidas) cresceu em aproximadamente 54%.
Os resultados desses esforços concertados em todas as instalações da SKF em termos de economia de energia podem ser vistos no gráfico à direita.
Apesar deste desempenho impressionante em termos de eficiência energética, o compromisso da SKF com a obtenção de uma redução nas emissões de carbono absolutas, resultantes da energia utilizada nas fábricas, tornou-se cada vez mais desafiador para ser mantido.

Apesar do fornecimento maior de energia ecológica e de baixo carbono em mercados onde ela está disponível, a rápida expansão orgânica da SKF na capacidade de manufatura em países onde a energia ecológica não está prontamente disponível, e onde a maior parte da eletricidade é gerada a partir de carvão, eclipsou a economia de energia e de emissões de dióxido de carbono.

Devido a esses desafios, e para manter o compromisso do grupo com reduções absolutas de carbono, foi necessário à SKF adquirir os certificados de redução verificada de emissões (VER) em 2010 e 2011.

Levando em consideração a aquisição das VERs, o total de emissões em 2011 foi de 424 mil toneladas, uma redução de 6% em comparação com 2010, o que significa que a meta do Grupo de 5% de redução absoluta foi alcançada.
O impacto dessas aquisições é mostrado no gráfico à direita.

Sobre as compensações adquiridas em 2011

Os certificados de redução voluntária de emissões (VER) adquiridos pela SKF em 2011 tinham sido emitidos de acordo com o padrão de carbono voluntário (VCS). Para o período de 2011, essas VERs foram produzidas pelo projeto de energia eólica Changtu Wind Power, na província de Liaoning, na China (uma província onde a SKF possui várias instalações fabris grandes). Este projeto utiliza a energia eólica para gerar eletricidade limpa para a rede elétrica do nordeste da China. Cinquenta e oito turbinas eólicas foram construídas, com uma capacidade instalada total de 49,3 MW.

No total, o Changtu Wind Power Project proporciona aproximadamente 101.420 MWh de eletricidade por ano e fornece uma estimativa de 115.689 toneladas de redução de emissões por ano (dos quais a SKF adquiriu 80 mil toneladas), também gerando empregos locais.


Despite this impressive performance in terms of energy efficiency, SKF's commitment to achieving absolute reductions in carbon emissions resulting from the energy used in the factories, has become increasingly challenging to maintain.

Despite increased sourcing of green and low carbon energy in those markets where this is available, SKF's rapid organic expansion in manufacturing capacity in countries where green energy is not readily available and where most electricity is generated from coal, has overshadowed energy and carbon savings.

Because of these challenges, and in order to maintain the Group's commitment to absolute carbon reductions, it was necessary for SKF to purchase verified emission reduction (VER) certificates in 2010 and 2011.


The impact of these purchases is shown in the graph below.

Taking the purchase of VERs into account, the 2011 total emissions were 424,000 tonnes, a 6% reduction compared to 2010, meaning that the Group target of 5% absolute reduction has been achieved.

About the offsets purchased 2011

The Voluntary Emission Reduction (VER) certificates purchased by SKF in 2011 had been produced according to the Voluntary Carbon Standard (VCS). For the 2011 period, these VERs have been produced by the Changtu Wind Power Project located in Liaoning Province, China (a province in which SKF has several large manufacturing sites). This project uses wind energy to generate clean electricity for the North-East China power grid. Fifty-eight wind turbines have been constructed, with a total installed capacity of 49.3 MW.

In total, the Changtu Wind Power Project provides approximately 101,420 MWh of electricity per year and delivers an estimated 115,689 tonnes of emissions reductions per year (of which SKF has purchased 80,000 tonnes) as well as providing local employment.

Mudança climática

SKF logo