Cookies no site da SKF

Nós utilizamos cookies para assegurar que você tenha a melhor experiência em nossos sites e em nossos aplicativos da Web. Caso você continue sem alterar as configurações de seu navegador, entenderemos que você deu seu consentimento para receber cookies. No entanto, você poderá alterar as configurações de cookies de seu navegador a qualquer momento.

Tamanho do rolamento necessário

Arruelas e buchas com composto

Para determinar o tamanho necessário da bucha com composto ou da arruela axial, comece com a vida nominal básica da aplicação. A vida nominal básica leva em consideração o tipo de máquina, as condições operacionais e confiabilidade operacional dessa máquina. As seguintes etapas podem ser usadas para determinar o tamanho do rolamento necessário: 

  1. Como uma primeira aproximação, um valor de referência da relação de cargas C/P = 2 pode ser usado para obter a classificação necessária de carga dinâmica básica C. Um rolamento apropriado pode, então, ser selecionado nas tabelas de produtos. 
  2. Verifique se a bucha ou arruela axial pode ser usada nas condições de carga real p e velocidade de deslizamento v. Use os diagramas pv:
  3. A carga específica do rolamento p e a velocidade de deslizamento v necessárias para realizar essa verificação podem ser calculadas, conforme explicado na equação abaixo.
    • Se o diagrama pv indicar que a equação de vida nominal básica pode ser usada, passe para a etapa 4.
    • Se o diagrama pv indicar que a faixa pv foi ultrapassada, selecione um rolamento com uma capacidade de carga mais elevada ou entre em contato com o serviço de engenharia de aplicação SKF.
  4. Calcule a vida nominal básica (equação abaixo ou, como alternativa, XXXX ) e prossiga da seguinte forma:
    • Se a vida nominal calculada for menor que a vida nominal necessária, uma rótula ou terminal de rótula maior deverá ser selecionado e o cálculo, refeito.
    • Se a vida nominal calculada for maior que a vida nominal necessária, uma rótula ou terminal de rótula poderá ser selecionado para a aplicação.
Para buchas flangeadas, verifique a adequação da bucha e o flange separadamente. Para calcular a carga específica do flange, substitua C por Ca na equação acima. Os valores de Ca são fornecidos na tabela de produtos.

Carga específica do rolamento

A magnitude da carga específica do rolamento pode ser calculada, usando-se

p = K F/C <br/>

onde

p=carga específica do rolamento [N/mm2]
F=carga dinâmica do rolamento [kN]
C=classificação de carga dinâmica básica [kN]
K=fator de carga específica [N/mm2]
= 80 para material composto de PTFE (sufixo E)
= 120 para material composto de POM (sufixo M)

Velocidade média de deslizamento

A velocidade média de deslizamento para movimento constante pode ser calculada usando-se

v = 5,82×10-7 d β f

onde

v=velocidade de deslizamento [m/s]
d=diâmetro de deslizamento [mm]
= diâmetro do furo d para buchas
= 0,5 (d + D1) para o flange das buchas flangeadas
= 0,5 (d + D) ou dimensão Ja para arruelas axiais
f=frequência de oscilação [min-1] ou velocidade de rotação [r/min]
β=metade do ângulo de oscilação (fig. 1) [graus, °] para rotação, β = 90°

Cálculo da vida nominal básica

Muitos fatores influenciam a vida útil de uma rótula, por exemplo, carga, velocidade de deslizamento, temperatura operacional, rugosidade de superfície de apoio contra a qual a camada deslizante de composto está encostada. Todo o cálculo é, portanto, somente um valor aproximado.
Os valores obtidos utilizando-se as equações de vida nominal básica são obtidos por meio da maioria dos rolamentos são excedidos com frequência. Isso foi confirmado por testes e pela experiência de campo.
A vida nominal básica para as rótulas com composto de PTFE e POM SKF pode ser obtida a partir de:

Gh = c1 c2 c3 c4 c5 KM/(p v)n

Realização do cálculo

Considere os valores-limite para produto (p v) no cálculo da vida, conforme a seguir:

  • Materiais de PTFE: se p v < 0,025, então 0,025 deve ser usado
  • Materiais de POM: se p v < 0,1, então 0,1 deve ser usado

onde
Gh=vida útil [horas de funcionamento]
c1=fator de carga (diagrama 3)
c2=fator de velocidade (diagrama 4)
c3=fator de temperatura (diagrama 5)
c4=fator de rugosidade superficial (diagrama 6)
c5=fator para o tipo de carga
= 1 para carga estacionária (ou seja, a zona carregada está sempre na mesma posição na circunferência do rolamento)
= 1,5 para carga rotativa (ou seja, a zona carregada move-se em torno da circunferência do rolamento)
KM=fator que depende do tipo de rolamento e do material
= 480 para buchas com composto de PTFE
= 300 para arruelas axiais com composto de PTFE
= 1 900 para arruelas axiais e buchas com composto de POM
p=carga específica do rolamento [N/mm2]
v=velocidade de deslizamento [m/s]
n=expoente
= 1 para materiais de PTFE
= 1 para materiais de POM se p v ≤ 1
= 3 para materiais de POM se p v > 1


Tiras e buchas de filamento enrolado de bronze e poliamida

As cargas, tensões, e velocidades de deslizamento não devem exceder os valores permitidos, fornecidos nas seções de dados dos rolamentos em questão:

Além disso, para buchas de filamento enrolado (série PWM), o diagrama 7 indica combinações de pv aceitáveis de cargas rolamento e velocidades de deslizamento específicas para esse material de buchas. Se os valores para a carga do rolamento e a velocidade de deslizamento específicas estiverem posicionados abaixo da curva deste diagrama de pv, o rolamento é apropriado para a aplicação. Em condições favoráveis, as faixas operacionais acima da curva também são possíveis. Nesse caso, entre em contato com o serviço de engenharia de aplicação SKF.

A carga específica do rolamento p e a velocidade de deslizamento v necessárias para realizar essas verificações podem ser calculadas, conforme explicado na equação abaixo.

Carga específica do rolamento

A magnitude da carga específica do rolamento pode ser calculada, usando-se

p = F/A

onde

p=carga específica do rolamento [N/mm2]
F=carga do rolamento [N]
A=seção transversal de capacidade de carga [mm2]
= d (B - 2) para buchas de filamento enrolado (fig. 2)
= d B para buchas de poliamida e bronze
= (D/2)2 - (d/2)2 Π para arruelas axiais


Velocidade média de deslizamento

A velocidade média de deslizamento para movimento constante pode ser calculada usando-se

v = 5,82×10-7 d β f

onde

v=velocidade de deslizamento [m/s]
d=diâmetro de deslizamento [mm]
= diâmetro do furo d para buchas
= 0,5 (d + D1) para o flange das buchas flangeadas
= 0,5 (d + D) ou dimensão Ja para arruelas axiais
f=frequência de oscilação [min-1], ou velocidade de rotação [r/min]
β=metade do ângulo de oscilação (fig. 1) [graus, °] para rotação β = 90°


SKF logo