Cookies no site da SKF

Nós utilizamos cookies para assegurar que você tenha a melhor experiência em nossos sites e em nossos aplicativos da Web. Caso você continue sem alterar as configurações de seu navegador, entenderemos que você deu seu consentimento para receber cookies. No entanto, você poderá alterar as configurações de cookies de seu navegador a qualquer momento.

Gaiolas 

Performance and operating conditionsBearing type and arrangementBearing sizeLubricationOperating temperature and speedBearing interfacesBearing executionSealing, mounting and dismounting

Os principais tipos de gaiola são descritos em Componentes e materiais. Além disso, informações sobre as gaiolas padrão e as opções possíveis para um determinado tipo de rolamento são fornecidas na seção de produtos relevante. Se for necessário um rolamento com uma gaiola fora do padrão, verifique a disponibilidade antes de encomendar.

Há diferenças de projeto fundamentais entre os rolamentos que, junto com a influência do tamanho do rolamento, tornam determinados projetos de gaiola necessários. Por exemplo:

  • alguns tipos de rolamento precisam ser de gaiola do tipo bipartida ou encaixe, pois eles são montados após a pré-montagem dos anéis e elementos rolantes
  • outros tipos de rolamento precisam de gaiolas orientadas a rolos para que sejam independentes
  • rolamentos de uma determinada combinação de tamanho e série precisam de gaiolas orientadas a anéis para limitar a tensão de contato entre os elementos rolantes e a gaiola.
Tendo em conta as exigências funcionais específicas e a quantidade de rolamentos fabricados, o material e os métodos de fabricação são escolhidos para oferecer a gaiola mais confiável e econômica.
As gaiolas são tensionadas mecanicamente durante a operação do rolamento por forças de atrito, impacto, inércia e centrífugas. Elas também podem ser quimicamente influenciadas por determinados solventes orgânicos ou líquidos de arrefecimento, lubrificantes e aditivos lubrificantes. Portanto, o tipo de material usado em uma gaiola tem uma influência significativa na adequação de um rolamento para uma determinada aplicação.

Gaiolas de aço
As gaiolas de aço podem ser usadas em temperaturas operacionais de até 300 °C(570 °F).

Gaiolas em aço laminado

As gaiolas de aço laminado estampado são feitas de aço de baixo carbono. Essas gaiolas leves têm uma resistência relativamente alta e, para alguns tipos de rolamento, podem receber tratamento de superfície para reduzir ainda mais o atrito e o desgaste em condições críticas.

Gaiolas em aço usinado

As gaiolas de aço usinado costumam ser feitas de aço estrutural sem liga. Para reduzir o atrito e o desgaste, algumas gaiolas de aço usinado recebem tratamento de superfície.

Essas gaiolas não são afetadas pelos lubrificantes à base de óleo sintético ou mineral normalmente utilizados em rolamentos nem pelos solventes orgânicos utilizados para limpar os rolamentos.

Gaiolas de latão
As gaiolas de latão podem ser utilizadas em temperaturas de até 250 °C (480 °F).

Gaiolas em latão laminado

As gaiolas de latão laminado estampado são utilizadas em alguns rolamentos pequenos e médios. Em aplicações como compressores de refrigeração que usam amônia, devem ser usadas gaiolas de aço ou latão usinado.

Gaiolas em latão usinado

A maioria das gaiolas de latão é usinada com ferro ou latão forjado. Elas não são afetadas pelos lubrificantes de rolamentos mais comuns, incluindo óleos sintéticos e graxas, e podem ser limpas com solventes orgânicos.

Gaiolas de polímero

Poliamida 66

A poliamida 66 (PA66) é o material mais utilizado para gaiolas moldadas por injeção. Esse material, com ou sem fibras de vidro, caracteriza-se por uma combinação favorável de resistência e elasticidade. As propriedades mecânicas, como resistência e elasticidade, dos materiais de polímero dependem da temperatura e estão sujeitas à deterioração. Os fatores que mais afetam o processo de deterioração são temperatura, tempo e o agente (lubrificante) ao qual o polímero é exposto. O diagrama 1 mostra a relação entre esses fatores para PA66 reforçada com fibra de vidro. A vida útil da gaiola diminui com o aumento na temperatura e com a agressividade do lubrificante.

Portanto, a adequação das gaiolas de poliamida a uma aplicação específica depende das condições operacionais e dos requisitos de vida útil. A classificação de lubrificantes como "agressivos" e "suaves" é refletida pelas temperaturas operacionais permitidas para gaiolas de PA66 reforçado com fibra de vidro com vários lubrificantes tabela 1. A temperatura operacional permitidana tabela 1 é definida como a temperatura que proporciona uma vida de envelhecimento da gaiola de pelo menos 10 mil horas de operação.

Alguns agentes são ainda mais "agressivos" do que os especificados na tabela 1. Um exemplo típico é a amônia, utilizada como refrigerante em compressores. Nesses casos, as gaiolas de fibra de vidro reforçada PA66 não devem ser usadas em temperaturas operacionais acima de 70 °C .

A poliamida perde a elasticidade em temperaturas baixas. Por isso, as gaiolas feitas de PA66 reforçada com fibra de vidro não devem ser usadas em aplicações nas quais a temperatura operacional contínua seja inferior a -40 °C (-40 °F).

Poliamida 46

A poliamida 46 reforçada com fibra de vidro (PA46) é o material padrão das gaiolas para alguns rolamentos de rolos toroidais CARB pequenos e médios. A temperatura operacional permitida é 15 °C (25 °F) maior que a PA66 reforçada com fibra de vidro.

Polieteretercetona

O polieteretercetona (PEEK) reforçado com fibra de vidro é mais adequado para condições severas em relação a altas velocidades, resistência química ou altas temperaturas do que a PA66 e a PA46. As propriedades excepcionais do PEEK oferecem uma combinação superior de resistência e flexibilidade, alta faixa de temperaturas operacionais, alta resistência química e ao desgaste. Devido a essas características notáveis, as gaiolas de PEEK normalmente estão disponíveis para rolamentos de esferas híbridos e/ou de superprecisão e rolamentos de rolos cilíndricos. O material não mostra sinais de deterioração pela temperatura ou por aditivos de óleo a até 200 °C (390 °F). No entanto, a temperatura máxima para uso em alta velocidade é limitada a 150 °C(300 °F), pois essa é a temperatura de amolecimento do polímero.

Gaiolas feitas de outros materiais
Além dos materiais descritos acima, os rolamentos SKF para aplicações especiais podem ser dotados de gaiolas feitas de outros polímeros de engenharia, ligas leves ou ferro fundido especial. Para saber mais informações sobre materiais alternativos para a gaiola, entre em contato com a SKF.

SKF logo