Cookies no site da SKF

Nós utilizamos cookies para assegurar que você tenha a melhor experiência em nossos sites e em nossos aplicativos da Web. Caso você continue sem alterar as configurações de seu navegador, entenderemos que você deu seu consentimento para receber cookies. No entanto, você poderá alterar as configurações de cookies de seu navegador a qualquer momento.

Lubrificação a óleo

A lubrificação a óleo é recomendada para várias aplicações, já que diferentes métodos de abastecimento podem ser adaptados para as diversas condições operacionais e projetos das máquinas. Ao selecionar o método de lubrificação a óleo mais apropriado para um arranjo de rolamentos, os seguintes requisitos de aplicação devem ser considerados:
  • quantidade e viscosidade do óleo necessárias
  • velocidade e perdas por atrito hidrodinâmico
  • temperatura permitida do rolamento
A relação típica entre a quantidade de óleo/taxa de fluxo do óleo, perdas por atrito e temperatura dos rolamentos é mostrada no diagrama 1. O diagrama ilustra as condições em diferentes regiões:
  • Região A
    A quantidade de óleo é insuficiente para criar um filme hidrodinâmico entre os corpos rolantes e as pistas. O contato de metal com metal leva a um aumento no atrito, altas temperaturas do rolamento, desgaste e fadiga subsuperficial.
  • Região B
    Uma quantidade maior de óleo está disponível e pode ser formado um filme de óleo aderente com capacidade de carga de espessura suficiente para separar os corpos rolantes e as pistas. Aqui, é atingida a condição em que o atrito e a temperatura estão no seu mínimo.
  • Região C
    Um aumento maior na quantidade de óleo aumenta o calor do atrito devido à agitação, e a temperatura do rolamento sobe.
  • Região D
    A quantidade de fluxo de óleo aumenta de tal forma que o equilíbrio entre a geração de calor do atrito no rolamento e a remoção de calor pelo fluxo de óleo é alcançada. Há picos de temperatura do rolamento.
  • Região E
    Com o aumento do fluxo de óleo, a taxa, na qual o calor é removido, excede o calor do atrito gerado pelo rolamento. A temperatura do rolamento diminui.
A manutenção de temperaturas operacionais baixas em velocidades extremamente altas normalmente exige um sistema de lubrificação ar-óleo ou um sistema de lubrificação por óleo circulante com capacidade de refrigeração. Com esses sistemas, as condições operacionais mostradas nas regiões B (ar-óleo) e E (óleo circulante) podem ser mantidas.
SKF logo