Ato de classe: SKF recebe terceira aprovação para serviços CBM

  • Artigo

    2018 Outubro 17, 10:00 CET

    Os operadores de navios precisam ter certeza de que seu fornecedor de serviços CBM está à altura do trabalho. Por isso, é fundamental contar com um fornecedor com aprovação de classe

    Gotemburgo, Suécia, 17 de outubro de 2018: A manutenção baseada na condição (CBM) é uma técnica que monitora e relata de forma proativa as condições das máquinas e dos componentes. Enquanto o setor de fabricação adotou amplamente a CBM, seu uso ainda é relativamente incipiente no setor naval.

    Os objetivos do setor naval são semelhantes aos da fabricação: melhoria da manutenção, aumento da disponibilidade, controle dos custos. No passado, limitações técnicas inerentes, como a conectividade limitada com a Internet, e o cumprimento de regras e regulamentos rígidos dificultaram uma adoção mais ampla da CBM no setor naval. No entanto, isso está começando a mudar conforme o setor reconhece os benefícios de um programa de manutenção que identifica falhas à medida que elas ocorrem, permitindo o reparo antes que se tornem grandes problemas.

    Os operadores precisam estar confiantes de que qualquer sistema CBM adotado será instalado adequadamente, funcionará com intervenção mínima e não infringirá nenhum regulamento local ou global. Isso é obtido quando o sistema é instalado e operado por um fornecedor com aprovação de classe.

    Aprovação de classe
    Sociedades internacionais de classificação como DNV GL, Lloyd’s Register e ABS garantem que os navios e as estruturas offshore alcancem determinados níveis de qualidade e confiabilidade. Elas verificam e aprovam o projeto, os materiais e os componentes de embarcações recém-construídas e inspecionam periodicamente os navios em operação para garantir que os padrões sejam mantidos. Se isso ocorre, o operador recebe o certificado de classificação, que normalmente é válido por cinco anos.

    Conforme mais operadores de navios começam a implementar estratégias CBM, as sociedades de classificação adaptaram suas regras e seus regulamentos para certificar o uso de CBM em navios. Um elemento disso é a garantia de que os sistemas de monitoramento da condição a bordo fornecem informações precisas. Se os sistemas não monitorarem corretamente, a tripulação poderá tirar conclusões falsas dos dados, o que poderia prejudicar a confiabilidade do navio. Por isso, os fornecedores de serviços devem comprovar que podem cumprir altos padrões especificados antes de receberem permissão para trabalhar com embarcações aprovadas.

    Os fornecedores de sistemas CBM argumentarão que seus produtos podem ser aplicados ao setor naval. Isso pode ser verdadeiro em teoria, mas primeiro eles precisam obter aprovação de classe. Sem a aprovação de classe DNV GL, por exemplo, um sistema CBM não pode ser usado em um navio com aprovação DNV GL.

    A SKF, por exemplo, recebeu aprovação de classe para seus serviços CBM da DNV GL. É a terceira aprovação de classe do tipo recebida pela SKF em CBM, pois a empresa também detém certificações anteriores da Lloyd’s Register e da ABS.

    Padrões de qualidade
    Para obter aprovação de classe, um fornecedor de serviços primeiro deve comprovar que pode realizar seus serviços com um padrão de qualidade consistentemente alto. As sociedades de classificação verificam se os sistemas CBM estão instalados adequadamente, se estão coletando a quantidade certa de informações para formar um quadro preciso e se os dados são analisados por pessoal capacitado e qualificado.

    Este é um elemento essencial: CBM é mais do que o hardware e a coleta de dados, estendendo-se à interpretação dos dados. Cada vez mais isso é feito por especialistas remotos, que sabem exatamente como analisar os dados e oferecer recomendações baseadas no que eles revelam.

    As sociedades de classificação também insistem que os fornecedores tenham um programa de aperfeiçoamento contínuo em vigor, o que inclui treinamento. Se puderem fazer tudo isso, eles recebem certificação válida por três anos.

    Benefícios da CBM
    Os construtores navais, como outros fabricantes, estão sob intensa pressão de custos, enquanto os proprietários de navios estão buscando otimizar ao máximo suas operações. Eles precisam minimizar os custos (reduzindo a tripulação, por exemplo) para aumentar a rentabilidade. Embora a CBM possa parecer um luxo caro, investir nela pode gerar redução de custos, seja pela diminuição do número de funcionários a bordo, pelo aumento da eficiência de combustível ou pela redução da necessidade de grandes reparos, com a parada de máquina associada.

    Os primeiros a adotar a CBM serão as embarcações de valor mais elevado e aquelas utilizadas no setor de petróleo e gás. Um navio do setor de petróleo e gás normalmente é levado para a doca seca a cada 2,5 anos para uma revisão completa das máquinas de bordo. Ao manter um monitoramento constante de todas as máquinas de bordo, a CBM automatizada pode adiar a necessidade de grandes revisões, o que significa que um navio passará por menos operações de manutenção importantes durante sua vida útil. Os reparos planejados também podem ser realizados com mais confiança.

    A SKF vem fornecendo CBM para o setor naval por quase dez anos e tem um conhecimento profundo sobre as condições ideais de todos os componentes navais relevantes, especialmente os rolamentos. 

    Além da manutenção, a CBM está começando a incluir o monitoramento do desempenho, visto que os proprietários de navios devem coletar uma vasta gama de informações como consumo de combustível e níveis de emissões. Uma forma eficaz de fazer isso é usar sistemas como o SKF BlueMon, um sistema de monitoramento ambiental que registra tudo em um só lugar. Com a vinculação a dados de posição GPS, ele auxilia a conformidade com regulamentos relevantes: se um navio estiver se aproximando de uma área com padrões de emissão mais rígidos, por exemplo, um alerta pode ser enviado para a ponte de comando para que os níveis de emissões sejam verificados novamente. Esse tipo de sistema, que preenche o diário de bordo do navio de forma eficaz e automática, deve se tornar muito mais comum no futuro.

    Aumentando a confiança
    Em última análise, as aprovações de classe estabelecem confiança entre empresas de transporte, operadores e fornecedores navais. Se um operador de navios trabalha, por exemplo, com um fornecedor de serviços aprovado pela DNV GL, ele sabe que a DNV GL revisou e verificou tudo em detalhes. Portanto, ele pode confiar nos dados de seus sistemas de monitoramento da condição.

    Para algumas aplicações, a implementação desses sistemas estenderá o intervalo de vistoria padrão de cinco anos e, em alguns casos, até mesmo as recomendações do fabricante para manutenção periódica. Outras estipulações são possíveis: por exemplo, para os fornecedores de serviços do setor de petróleo e gás, a obtenção da aprovação de classe pode ser exigida até mesmo para enviar uma proposta de contrato.

    Enquanto os usuários finais (como construtores e operadores de navios) obtêm o maior benefício da aprovação de classe, ela também oferece grandes vantagens para os próprios fornecedores de serviços. Durante o processo, os fornecedores recebem orientações sobre como cumprir os requisitos; como resultado, tendem a identificar várias formas de melhorar o que fazem. Assim, eles podem melhorar a qualidade de seus serviços durante o processo.

    No exemplo recente da SKF, a obtenção da aprovação de classe da DNV GL foi um processo que levou 18 meses: foi um investimento substancial de tempo e dinheiro, mas que tornou seus serviços CBM disponíveis para uma variedade de clientes muito mais ampla.


    Aktiebolaget SKF
          (publ.)

    Para obter mais informações, entre em contato com:
    Assessoria de imprensa: Nia Kihlström, +46 31-337 2897; +46 706 67 28 97; nia.kihlstrom@skf.com

    A SKF é um dos principais fornecedores globais de rolamentos, vedações, mecatrônica, sistemas de lubrificação e serviços que incluem suporte técnico, serviços de manutenção e confiabilidade, consultoria em engenharia e treinamento. A SKF está representada em mais de 130 países e tem cerca de 17 mil distribuidores em todo o mundo. As vendas anuais em 2017 foram de 77,938 bilhões de coroas suecas, e a empresa empregava 45.678 funcionários. www.skf.com

    ® SKF é uma marca registrada do Grupo SKF.

  • Imagem

Download do kit de imprensa

Kit de imprensa (1.2 MB)

SKF logo